Conto: aprenda aqui

O conto é uma narrativa, pelo simples fato de que narrar é contar alguma coisa. No conto os elementos centrais são as personagens, as ações e as ideias.

As personagens devem possuir características tão humanas que possa envolver os sentimentos do leitor. As ações, sempre que possível, partem do que é comum, trivial, para uma particularização, que só este conto tem – isso atrai o interesse, desperta a curiosidade, provoca um gosto de aventura. As ideias são sempre o interesse humano, pois o que se busca na ficção é o entendimento e o julgamento da vida. Desenvolva características humanas universais e estará criando uma obra de arte, que sempre será viva enquanto houver humanidade.

Em toda narrativa há sempre descrição. É que, ao lado do relato das ações e acontecimentos, figuram habitualmente as representações de objetos e pessoas.

As passagens descritivas intercaladas numa narrativa podem ter muitas funções, desde a decorativa até as mais significativas caracterizações.

Conselho prático:

  1. Preparar uma síntese do que vai ser contado.
  2. Ter uma finalidade para contar a história.
  3. A primeira frase é muito importante num conto – é ela que desperta o interesse.
  4. Sugerir, mais do que explicar.
  5. Nunca terminar esclarecendo detalhadamente todos os mistérios, todas as dúvidas.
  6. Ter clareza na linguagem e muita criatividade.

Diversos são os tipos de conto:

  • Conto fantástico – o narrador, utilizando a fantasia e os símbolos do sonho ou dos mitos e lendas, cria uma nova realidade com o objetivo de revelar profundamente o interior do ser humano, pondo a descoberto ou sugerindo nas entrelinhas problemas existenciais e questionando valores sociais, políticos, econômicos. As personagens transformam-se em tipos simbólicos montados com formas e feições aparentemente desencontradas, assumindo comportamentos imprevisíveis e incomuns.
  • Conto policial – gira em torno de um crime. Cria uma atmosfera de ansiedade no leitor, para a elucidação da trama criminosa e do autor do delito. O desafio do narrador é a construção de um enredo que atinja os dois objetivos. Os fatos precisam suceder-se, entrelaçar-se, criando surpresa, medo, angústia, mistério. O esclarecimento deve ir ocorrendo aos poucos, ficando para o final a elucidação.
  • Conto humorístico – predomina a crítica, o deboche e a malícia no modo de dizer os fatos. Tipos cômicos, estranhos, diferentes, desajustados – são excelentes personagens.
  • Conto trágico – a dor, a exploração de fortes sentimentos, do acontecimento inesperado à grande tragédia.
  • Conto sentimental – o predomínio da paixão, do afeto. Utiliza ações que abalam os sentimentos mais humanos.
  • Conto incompleto – trata de assuntos que não chegam a um final racional; o final fica em aberto, para ser completado pelos destinos da vida.

 

 

Anúncios
%d bloggers like this: