Crônica de Luiza Thüler

João ama Maria, que ama Marcelo, que ama Cristina, que está indecisa sobre seu amor por Pedro, que ama Carla… No fundo, todo mundo quer alguém para chamar de seu. Poucas vezes esse amor é correspondido, mesmo quando o amado ou a amada sabem da paixão platônica de que é alvo.

Eu duvido que o senhor, meu caro leitor, nunca tenha sofrido desse mal, que atinge quase todas as idades, mas que parece sobressair na adolescência. E se você passa, atualmente, por uma situação parecida, por favor, leia esta crônica até o fim – não a deixe de lado para ir ver televisão!

Primeiramente, saiba que não há poções ou simpatias que tragam a pessoa amada para os seus braços, nem em sete dias nem em um milhão deles. O ser humano é conquistado por gestos, simples atitudes que aos olhos de muitos parecem dignas de aplausos.

Não se questione tantas vezes tentando descobrir o porquê do seu amor não te amar, afinal, enquanto você se pergunta tanto, ele ou ela pode estar perguntando a alguém por onde você anda… Ah! E quando estiver levando “aquele” papo com seu ou sua pretendente, não sofra ao olhar nos olhos dessa pessoa e se perguntar: “Mas não é da minha melhor amiga (ou do meu melhor amigo) que ele (ou ela) gosta…?” Caríssimo leitor, não é com você que essa pessoa está conversando? Pois então…

Para que esta crônica não se transforme em um manual de instruções, não direi “passo número 3”, mas simplesmente “terceiramente”.

Terceiramente, e, diria eu, por fim, entenda bem uma coisa: se, após demonstrar a quem você ama seu imenso afeto essa pessoa não corresponder… Bem… Trate de seguir em frente, meu chapa. Esteja certo de que, nesse mundo tão grande, há de haver alguém que o ama mais do que você imagina. Afinal, João ama Maria, que ama Marcelo, que ama Cristina… E nesse ciclo, sua vez há de chegar.

Abril, 2008

Anúncios

2 comments on “Crônica de Luiza Thüler

  • Rosangela, que prazer ver meu texto no seu blog! Fiquei muito honrada de saber que ele foi publicada em uma prova de primeiro ano no Salesianos ano passado. Obrigada pelo carinho de sempre, um beijo enorme!

  • Deixe uma Resposta

    Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

    Logótipo da WordPress.com

    Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

    Google+ photo

    Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

    Imagem do Twitter

    Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

    Facebook photo

    Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

    w

    Connecting to %s

    %d bloggers like this: